NEWSLETTER
FALE CONOSCO

Temos o maior prazer em atendê-lo.

 

  • Telefone: +55 (62) 3241-8600

 

SIGA-NOS

Estamos nas Redes Sociais

  • Facebook App Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon
Aplicativo ISB
Interschool Brasil
Interschool Brasil

Psicomotricidade

May 28, 2018

Semanalmente nossos alunos vivenciam atividades psicomotoras. Vamos compreender melhor sobre essa estimulação?

A estimulação psicomotora tem por objetivo a utilização do corpo como via de comunicação com o mundo. Esse corpo leva a criança ao aprimoramento e conscientização de suas potencialidades, agindo como facilitador na apreensão dos processos pedagógicos, por meio de atividades lúdicas, favorece o criar, planejar, brincar, relacionar, sentir, imaginar e explorar, auxiliando na aprendizagem pedagógica e nas atividades cotidianas. Le Boulch defende que a educação psicomotora deve ser considerada como uma educação de base da escola primária. Ela condiciona todos os aprendizados pré-escolares e escolares; leva a criança a tomar consciência de seu corpo, da lateralidade, a situar-se no espaço, a dominar o tempo e a adquirir habilmente a coordenação de seus gestos e movimentos. A educação psicomotora deve ser praticada desde a mais tenra idade. Conduzida com perseverança, permite prevenir inadaptações difíceis de corrigir quando já estruturada.

 

A educação psicomotora não se preocupa somente com a organização motora, mas com os aspectos cognitivos, sociais e emocionais devendo andar juntas auxiliando uma a outra indo de encontro a uma aprendizagem autônoma, criativa e ativa. As atividades envolvidas integram o conhecimento corporal, a organização emocional, lateralidade, percepção visual e auditiva, estruturação espaço-temporal, equilibração, tonicidade, praxia global, praxia distal, atenção, todos trabalhados de forma lúdica, respeitando o tempo de aprendizagem da criança. Sendo assim, a prática da estimulação psicomotora favorece a aprendizagem, pois coloca o indivíduo diante de um universo de possibilidades de manipular e organizar a si mesmo e o meio em que está. Usando seu corpo como porta de entrada e saída da aquisição.

Para que isso aconteça, é preciso que a criança seja estimulada desde cedo a viver este corpo em diferentes ambientes, com diversos objetos e pessoas ampliando os estímulos ao seu corpo e cérebro. Atividades que contemplam o tônus muscular, além de trabalhar a força, também asseguram a atenção, vigilância, controle da apreensão capacidade essa que favorece na maioria das atividades escolares, é na experiência com diferentes objetos e situações que a criança vai aprendendo a ajustar seu tônus muscular às exigências de cada situação, evitando nas atividades escolares a escrita que rasga a folha do caderno ou a letra ilegível e deitada. Atividades de equilibração trabalham com o controle da postura. A criança com equilíbrio adequado executa suas atividades com menor esforço e desgaste mantendo sua movimentação em harmonia e coordenação. A lateralidade compreende a integração sensória motora dos órgãos pares, tornando-os funcionais e compete no direcionamento das variadas formas de orientação do indivíduo. Por volta dos 7 ou 8 anos de idade, a criança começa a perceber seu eixo corporal e seus dois lados direita e esquerda, ela consegue transpor esse conhecimento para além do corpo, isto é, para a linguagem falada e escrita, percebendo então por exemplo que “p” é diferente de “q” e “b” de “d”. Compreende com mais facilidade que ao copiar um texto em sala, se escreve no caderno da esquerda para a direita, se localiza no meio com menos desgaste mental.

O que diferencia uma atividade motora de uma estimulação psicomotora é a intenção planejada, ou seja, a criança é provocada a desorganizar as suas habilidades já conhecidas e vivenciadas, assim todo o sistema cerebral é ativado buscando na cognição, na emoção e no aparato motor uma forma de executar o novo. A condição emocional é indispensável, já que a curiosidade e a motivação fazem parte do processo. A criança à medida que brinca, aprende a se conhecer, a conhecer o mundo e o que está a sua volta, se localiza no espaço e localiza objetos a partir de comandos dados. O brincar a partir de um objetivo específico não é só brincadeira, é aprendizagem.


BARIANE DE FARIA BESSA

Professora Psicomotricista da Escola Internacional de Goiânia

Graduada em Educação Física – Licenciatura e Bacharelado

e especialista em Psicomotricidade

Please reload

Destaques

Inteligência emocional nas instituições de ensino: QUAL A IMPORTÂNCIA?

September 30, 2019

1/9
Please reload

Artigos Recentes

February 5, 2019

May 28, 2018